segunda-feira, 12 de julho de 2010

Três Wilson's, e a história do jogo que não aconteceu.







Alegando não ter recebido do representante do Coritiba, Sr. Wilson Cunha (Gia) via ofício ou mesmo verbalmente a comunicação que haveria jogo nesta segunda-feira,o administrador do ginásio do SESI, Wilson dos Reis, não permitiu que a primeira partida da final do 1º turno do campeonato sergipano de futsal fosse realizada na noite de ontem.
O Real Moitense compareceu normalmente, porém após várias investidas no sentido de que a partida fosse realizada, todos voltaram para casa frustados.Vários torcedores e companheiros de imprensa dos veículos de comunicação Fm Itabaiana (Genário Santos e Waldson Diniz) e Tv Sergipe (Vieira Filho e Gilton), ficaram indignados com a atitude do Sr.Gia, em não autorizar que a sua equipe entrasse na quadra para a disputa.Segundo Gia, o Coritiba não foi informado pela FSFS das novas datas dos jogos.
Como representante legal, cabe somente ao Sr. Gia a prerrogativa de colocar ou não a sua equipe para jogar.
O interesante é que somente parte do elenco de jogadores do Coritiba foram para o SESI, dando prova cabal de que o grupo está fracionado.

Segundo Márcio e Naldinho, jogadores experientes "é uma vergonha o que está acontecendo na noite de hoje.Isto ficará manchado para sempre na história do futsal sergipano", disseram.
Conversei com a Sra. Vânia, esposa do Sr. Gia, e ela me disse que em hipótese alguma o Coritiba iria fazer o jogo, pois não concordavam com a marcação da partida para a segunda-feira.Entretanto, há um detalhe: a tabela foi divulgada pela FSFS à pelo menos uns sete dias atrás e não tenho conhecimento que o Coritiba, através do seu representante legal, tivesse se mostrado contrário a decisão da Federação.

Conversei também com o terceiro Wilson envolvido nesse episódio, Wilson Mendonça, o "Galego",técnico da equipe de Moita Bonita, e ele se mostrou disposto a jogar as duas partidas posteriormente à Liga Nordeste que começa no próximo domingo; desde que o presidente Wágner Costa aceite, é claro.
Outro fato que me chamou atenção foi a divisão no grupo do Coritiba.Somente os jogadores tidos como "da casa" estiveram no ginásio, os demais ficaram na casa do atleta.

A polêmica está criada.Cabe ao tribunal da FSFS julgar o caso de acordo com o relato dos árbitros (Édmo Oliveira e Jailson dos Santos).
De uma coisa é certa, só quem perde com isso tudo é o futsal sergipano.
Se é para colocar uma equipe na competição e retirar antes do término, é melhor não participar.Minha vovó (D. Marcinha) já dizia: "quem não pode com o pote, não pega na rodia".





Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.