segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Falso moralismo.


Uma coisa tem me deixado intrigado. Se há proibição na comercialização de cerveja nos estádios aqui em Sergipe, com a falsa alegação de que isso, inibe eventuais conflitos entre torcedores, o que dizer de shows realizados em todo Estado, seja em locais públicos ou privados em que drogas ilícitas, são comuns.
Não estou fazendo apologia ao consumo do álcool, longe disso, mas, querer associar e atribuir à cervejinha consumida no estádio de futebol ao aumento do índice de violência, isso é demais. Vejamos uma comparação:
- Geralmente um evento de futebol dura entre duas e quatro horas; já o evento musical dura no mínimo de seis a sete horas. Ora, com um futebol tão pobre em qualidade, ir ao estádio e não beber um copo de cerveja, é muita hipocrisia.
Concordo que as bebidas, inclusive a água sejam comercializadas apenas em copos descartáveis, pois, qual a diferença entre atirar uma garrafa de água mineral no gramado ou uma latinha de refrigerante?
Espero que os "senhores da lei" reflitam e parem de atrapalhar o pobre futebol sergipano.Enquanto "eles" estão preocupados com coisas tão pequeninas, os "urubus continuam passeando entre os girassóis".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.