terça-feira, 31 de maio de 2011

Presidente do São Domingos ignora torcida e imprensa.


O presidente do São Domingos mostrou no dia de ontem a fragilidade e subserviência em relação as atitudes unilaterais e ditatoriais da Federação Sergipana de Futebol. Sem remeter ao regulamento da competição, que não vale absotutamente nada, o presidente Dilson cedeu as imposições e ameaças do "czar" Carivaldo Souza e, simplesmente, abriu mão da prerrogativa que tinha de jogar o segundo jogo das finais em seu estádio, unicamente para fazer média com o mandatário maior do futebol sergipano.

É lamentável a postura da maioria dos dirigentes das equipes do interior, sempre obedecendo aos caprichos e pressões vinda da Federação. Nesse caso específico da decisão, fica a dúvida: será que o São Domingos é um dos times que devem a "cabeça" a FSF? Ou é uma das equipes que recebem no início da temporada dois jogos de uniformes e alguns pares de chuteiras? Vai saber.

O importante mesmo é que, o torcedor local e a imprensa, ficaram com a sensação de marido traído. Na hora de roer o osso eles estão junto à diretoria, mas na hora de saborear a carne, "ela" dá pra outro.

Louvável mesmo foi a atitude do Deputado Venâncio Fonseca, que desde o início abraçou a causa e brigou para que os direitos do São Domingos fossem preservados e respeitados.
Hoje, em entrevista ao radialista Roosevelt Santana na Rádio Capital do Agreste de Itabaiana, o Deputado afirmou que o presidente Carivaldo Souza (FSF) chantageou o presidente do São Domingos dizendo: "Se o Senhor levar adiante esse desejo de não entrar em campo, eu tiro o São Domingos da Copa do Brasil do ano que vem" . Sem palavras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.