quinta-feira, 8 de março de 2012

Luxemburgo desmoraliza o CREF em Sergipe.


Ontem no jogo entre o River Plate 2x3 Grêmio/RS, pela Copa do Brasil, o técnico da equipe gaúcha, o Sr. Wanderley Luxemburgo, ao ser inquirido sobre sua credencial emitida pelo Conselho Regional de Educação Física - documento preponderante para o exercício da atividade no campo de jogo - foi arrogante ao extremo, proferiu pelavras de baixo calão, alías, uma das marcas registradas do treinador. Disse não reconhecer no fiscal do CREF, autoridade para tal, e mais, exigiu que o funcionário o deixasse em paz. O pobre do laborador tentou sem sucesso, junto ao árbitro da partida, o Sr. Emerson Sobral, da Federação Pernambucana, uma aitude que pudesse dar respaudo ao intento, que era convidar o treinador gremista a deixar o banco de reservas, mas o apitador fez ouvido de mercador, fingiu que não ouviu, não deu importancia.

Com a covardia em relação a Luxemburgo e, o ato de usar dois pesos e duas medidas, o CREF, regional Sergipe, doravante, não terá nenhuma moral de cobrar nada dos técnicos que tabalham no futebol sergipano. Que diga o técnico Paulo Moroni (A.D. Confiança), que tem sido deveras ultrajado, tendo que comandar sua equipe sempre do lado de fora de campo, muitas vezes em meio a torcedores.

O CREF é uma entidade importante e respeitada, importante sim, mas respeitada não, pelo menos a partir da vinda de Wanderley Luxemburgo à Sergipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.