quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Ser campeão estadual: maldição ou coincidência?



Igualmente como aconteceu na gestão Alberto Nogueira, que, após ter sido campeão estadual em 2005, viu a equipe mergulhada em dívidas, inclusive na iminência de perder toda a área da Vila Olímpica num leilão que já tinha data marcada. Com tantos processos trabalhistas, Alberto Nogueira (presidente) e Gilberto Barros (diretor de futebol), os últimos que ficaram para apagar a luz, se viram obrigados a redigir uma carta pedindo o afastamento do Itabaiana de todas as competições oficiais de 2006. Eis que surge a figura do eminente advogado e torcedor apaixonado Amilton Gomes que, juntamente com outros cidadãos itabaianenses, trabalharam incessantemente para que o glorioso Tremendão da Serra não fechasse as portas.

Coincidência ou não, agora em 2012, aparece o remake, ou seja, o Itabaiana é o atual campeão sergipano e, mais uma vez se depara com a constrangedora situação de dívidas e mais dívidas, com jogadores e com o pessoal de apoio. Tudo isso, fruto de uma participação deficitária na série "D" do brasileiro deste ano. E por falar em série "D", vale salientar que o presidente Eduardo Almeida, desde o início, foi contrário a participação da equipe. Para o presidente, participar daquela competição poderia mergulhar mais uma vez a equipe em dívidas, inclusive, chegou a propor informalmente que o Itabaiana cedesse sua vaga à Desportiva Confiança. Não deu outra, o Itabaiana foi um fiasco na competição; contratou um monte de ex-jogadores e deu no que todos já estão cansados de saber. Eliminação ainda na primeira fase.

Às vésperas das próximas eleições no Clube, ainda não se tem notícia de qual, ou quais personalidades colocarão seus nomes à disposição para uma possível sucessão no Tricolor da Serra. Sabe-se apenas que dos atuais dirigentes - Eduardo, Amilton e Adailton - já declararam várias vezes em várias emissoras de Rádio e Televisão, que não querem de jeito nenhum continuar no Itabaiana. Dizem estar decepcionados com  as cobranças injustas por parte de alguns poucos torcedores e afirmam com todas as  letras  que "futebol não é lugar para gente séria".

O mandato de Eduardo Almeida encerra-se aos trinta e um de dezembro do corrente ano. Foram seis anos dessa nova administração. Dentre os feitos, conseguiram um bi campeonato da Copa do Governo de Sergipe e um título estadual, além de algumas participações na Copa do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.