terça-feira, 25 de junho de 2013

Marcílio: 20 anos dedicados à caça de talentos.




Não é fácil trabalhar com o futebol de base no nosso Estado, entretanto, um cidadão apaixonado pelo futebol,  tem realizado desde o início dos anos 90, um belo e árduo trabalho de garimpagem e lapidação de jóias raras que surgem em meio a centenas, talvez milhares de garotos que acalentam o sonho de ser jogador de futebol.

Marcílio sempre teve sua base didática fincada em Aracaju. Trabalhou por alguns anos C. S. Sergipe e lá, participou efetivamente da construção profissional de alguns garotos que sairam de Sergipe para trabalhar em outros centros mais desenvolvidos.

Esses dias, acompanhando a participação dos garotos do Itabaiana na sub-14, vi a dedicação, o carinho e o comando que Marcílio exerce sobre seus atletas.
Por acaso ontem, cheguei de surpresa bem na hora da palestra antes da decisão contra o Cotinguiba. Fiquei no meu cantinho ouvindo o que ele tinha para dizer àqueles garotos ansiosos e atentos. Dentre outras coisas,   ouvi quando Marcílio, chamou seus atletas à responsabilidade e alertou sobre o privilégio de vestir a gloriosa camisa do Tricolor da Serra. Pediu à garotada que entrassem em campo colocando à frente o desejo de fazer do Itabaiana uma  equipe referencial em descobrir talentos; que eles aprendessem desde já a amar aquela camisa; lutar até o último segundo em prol do sucesso da equipe e deles próprios.

Infelizmente as equipes do nosso Estado ainda não têm condição de realizar um trabalho profissional nas categorias de base, devido a vários fatores, principalmente pelo desinteresse e a falta de visão dos nossos dirigentes de clubes ditos profissionais. Também à falta de apoio da nossa instituição maior que é a Federação Sergipana de Futebol e da iniciativa privada, ou seja, dos nossos empresários, é uma triste e cruel realidade.

Em meio a tantos dissabores estruturais, tive a grata surpresa de saber que existem pessoas como Marcílio, que dedicam quase as 24 horas dos seus dias, pensando, buscando, respirando futebol de base.
Talvez não tenhamos a dimensão do prestígio de Marcílio quando se fala de base. Neste torneio por exemplo, ele trouxe vários garotos que já têm uma certa bagagem nesse sentido, como o goleiro Binho, o zagueiro Mateus Góis, o atacante João Victor e o meia-atacante Renato, que já foi inclusive, destaque em matéria esportiva a nível nacional.

                                          fotos: acervo Beto Silveira




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.