segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Copa Governo do Estado: Final regada a banho de pipoca e spray de pimenta.

                                       foto: Felippe Araújo

Na noite de ontem, a Amadense de Tobias Barreto sagrou-se campeã da Copa Governo do Estado ao empatar em 2x2 com o Itabaiana. Até aí tudo normal, haja vista que o "Leão do Rio Real" já havia feito um ótimo resultado no jogo de ida e ontem apenas consolidou o título.
O anormal mesmo foi a forma como o torcedor tricolor da serra - e não é a primeira vez - foi hostilizado por alguns torcedores da equipe local, sob a complacência do policiamento responsável por garantir a segurança de todos.


                                        foto: Juan Gabriel

Antes mesmo do término do jogo, assistimos cenas dantescas de crianças e senhoras grávidas carregadas por seus acompanhantes, vítimas do famigerado spray de pimenta que, pelo que se tem conhecimento, só é utilizado em extremo descontrole de multidões e em manifestações violentas, coisas que não aconteceram em momento algum. Veja o que está publicado no site www.wikipedia.org  sobre os perigos do uso indiscrimado desta arma-não-letal:

" ... O gás de pimenta, em geral, é utilizado na forma de sprays manuais e, teoricamente, causa apenas grande ardência e desconforto nos olhos fazendo com que a vítima fique à mercê da intervenção policial. No entanto, estudos independentes de entidades de direitos humanos mostram que o gás de pimenta pode matar. Em geral, as mortes não são imediatamente relacionadas ao uso do gás, porque elas resultam de asfixia e problemas cardíacos que serão intensificados quando a vítima, depois de contaminada, for encarcerada em um lugar estreito e com pouca circulação de ar.
Além disso, segundo recomendação dos próprios fabricantes, o gás pode ser fatal em pessoas com problemas respiratórios, problemas cardíacos e mulheres grávidas. No entanto, as unidades policiais que administram o gás não dispõem de equipamentos de descontaminação para tratar desses casos."(sic)

Com a palavra, as autoridades policias deste Estado.


O jogo:

O Itabaiana entrou em campo sabendo que teria que marcar dois gols de diferença se quisesse conquistar o título. E não demorou muito para abrir o placar através do atacante Da Silva. Com 1x0 no placar, a equipe serrana começou a administrar o resultado e, sempre pelo lado esquerdo, explorava as jogadas ofensivas de Da Silva. Numa dessas jogadas, o atacante cruzou na área e Jajá teve duas chances de ampliar o placar.
Como que por castigo, nos acréscimos do primeiro tempo, a Amadense teve a oportunidade de empatar  o jogo numa penalidade desperdiçada pelo meia Carlinhos, que acertou a trave do goleiro Fábio.

Na segunda etapa, o jogo começou no mesmo ritmo, com o Itabaiana tentando manter a posse de bola e a Amadense explorando sua jogada característica, a velocidade dos seus atacantes Luan e Diego. Eis que, após uma defesa sensacional do goleiro Fábio, a bola fora alçada na área; a defesa do Itabaiana ficou assistindo e Brenno, livre de marcação empurrou para as redes. 1x1.

Este era um péssimo resultado e o Itabaiana teve que começar tudo de novo. Buscar o segundo e o terceiro gol. E o segundo saiu depois de um cruzamento pelo lado esquerdo; o zagueiro Thiago desviou para o gol e acendeu mais uma vez a esperança do torcedor  tricolor.
Quando tudo parecia se encaminhar para a dramaticidade dos minutos finais, o atacante Diego da Amadense recebeu uma bola praticamente perdida na linha de fundo; conseguiu se desvencilhar de três marcadores e só rolou para o serelepe Luan - que colocou em pânico a defesa do Itabaiana - marcar o gol de empate e que consolidou o título de campeão da Amadense e a garantia de disputar a Copa do Brasil 2015. Final de jogo: Amadense (Campeã) 2x2 Itabaiana.


A partida teve a arbitragem tranquila de Eduardo de Santana Nunes, auxiliado por Cleriston Clay Barreto Rios e Ivaney Alves Lima. Apenas um lance polêmico registrado na jogada que originou o pênalti ( não convertido) em favor da Amadense, onde o atacante Luan (Amadense) desviou a bola com a mão e o árbitro Eduardo deu sequencia na jogada.
Quanto aos auxiliares, sempre seguros e com um desempenho condizente.


                                       foto: Felippe Araújo

Outro fato negativo foi a enorme quantidade de pessoas alheias ao jogo dentro do gramado. Sobre isto o Delegado da partida, o senhor Ary Douglas L. Souza, mostrando imparcialidade relatou na súmula do jogo:
" Alguns diretores assistindo a partida no campo, mas com aval do presidente (José Carivaldo)."
Vide súmula no endereço eletrônico: http://www.fsf-se.com.br/sgc/uploads/download/7e4b55bb3f5f68d5dd85a30e0ec3e197.pdf

Isto é o nosso futebol!


O técnico Ferreira utilizou os seguintes jogadores:
Fábio, Carlos Henrique, Thiago, Diego Padilha e Iury; Lismar, Daniel (Alex Júnior) e Lelê; Fabinho Recife, Jajá e Da Silva (Cláudio).

                                        foto: Felippe Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.