sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Itabaiana e Yan devem voltar a brigar na justiça.




O ex-atleta do Itabaiana, Yan, artilheiro do campeonato sergipano sub-19 deste ano, assinou contrato com o Paraná Clube  no último dia 24.

Recentemente o jogador acionou a equipe serrana na justiça do trabalho, pleiteando a sua rescisão. O seu pedido fora deferido pela justiça, todavia, o motivo da saída expressa no documento foi abandono de serviço. Sendo assim, não coube ao Itabaiana nenhum ônus, porém, segundo o entendimento do advogado Amilton Gomes à luz da Lei Pelé, o jogador não poderia assinar nenhum contrato profissional num prazo de trinta meses, sob pena da nova equipe contratante e o próprio jogador terem que arcar com a multa rescisória que estava avaliada quando do contrato vigente em R$ 300.000,00.

Entenda o caso:

Toda essa querela entre Yan e o Itabaiana fora desencadeada ainda na disputa do sergipano sub-19. 
Devido ao ótimo desempenho na competição, a direção do Itabaiana viabilizou a sua ida ao Grêmio de Porto Alegre, inclusive o bilhete de passagem aérea já havia sido emitido em nome do jogador. 
Entretanto, como tem sido praxe nas equipes de futebol que revelam jovens talentos, o garoto passou a ser assediado diariamente por alguns "empresários" do futebol. Para o espanto dos diretores do Itabaiana e também do Grêmio, eis que, repentinamente, fora do combinado, o jogador chegou à Porto Alegre acompanhado de um procurador, dizendo que não tinha mais nenhum vínculo com o Itabaiana.
De pronto, mostrando seriedade e profissionalismo, a coordenação de base da equipe gaúcha entrou em contato com o gerente de futebol do Itabaiana Leandro Brandão, questionando a ida antecipada de Yan.
Leandro ficou atônito e revelou também o seu espanto com tal informação.  

Com a recusa do Grêmio em receber o jogador sem a participação efetiva do Itabaiana nas negociações, iniciou-se uma verdadeira batalha jurídica entre Yan, seus "representantes" e o Itabaiana, que culminou com a liberação do atleta, nos moldes como já foi abordado anteriormente.


Desde o último dia 24, quando Yan teve seu nome incluso no BID da CBF, como jogador do Paraná Clube/PR, o Itabaiana, juntamente com o assessor jurídico do clube Amilton Gomes, trabalham para provar que o jogador e o clube paranaense infringiram a Lei que rege casos como este.  


Não posso afirmar neste caso específico, mas a participação de pseudos agentes de futebol tem se mostrado cada vez mais presente e nociva a jovens talentosos espalhados pelo Brasil afora, sobretudo no norte e nordeste, onde pessoas inescrupulosas aproveitam-se da fragilidade emocional e financeira dos pais, para prometer contratos fantasiosos, isto quando, não enveredam pela pedofilia.


Este caso ainda vai dar muito o que falar. Aguardemos então.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.