segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Lance polêmico dá vitória ao Sergipe diante da gurizada do Itabaiana.




Ontem, na abertura do campeonato sergipano de futebol, a jovem equipe do Itabaiana acabou sendo derrotada dentro de casa pelo seu arquirrival, o Sergipe.

O jogo:

Como já era de se esperar, as duas equipes entraram cautelosas, entretanto, não faltaram lances que poderiam resultar em gol. 

O Sergipe foi detentor das melhores oportunidades, sobretudo na primeira etapa, obrigando o goleiro Rodrigues realizar duas ou três defesas incríveis.
Aos poucos, a garotada do Itabaiana foi ganhando confiança e começou a ameaçar o gol defendido por Neto.
No ímpeto de chegar ao primeiro gol, o Sergipe proporcionou alguns contra-ataques que não foram bem aproveitados pelo Tricolor da Serra.

Apesar da disposição, o esquema tricolor com três volantes não foi capaz de bloquear as jogadas ofensivas do Sergipe, que, por algumas vezes, chegou com facilidade em condição de finalizar.
No Itabaiana, faltou mais impetuosidade do lateral Carlos Henrique, já que este jogador possui uma força física muito grande e finaliza muito bem de longa distância.


Para a segunda etapa, o técnico Vavilson dos Santos colocou o jovem Branco - destaque da equipe na Copa São Paulo de Futebol Júnior - em lugar do atacante Aldir, que sentiu um incômodo muscular e foi substituido para não agravar seu estado clínico.
O Sergipe por sua vez, observou o encolhimento do adversário e colocou no jogo dois jogadores de velocidade, para tentar vencer a sólida defesa tricolor.

Como diria o amigo radialista Genário Santos, a partida continuava no mesmo diapazão, ou seja, o Sergipe agredia mais e consequentemente ficava vulnerável às arrancadas do atacante Kako.
Eis que , por volta dos vinte e quatro minutos da segunda etapa, entra em cena o árbitro Eduardo Santana Nunes, que até então, fazia uma arbitragem limpa e tranquila.
Num desses contra-ataques do Itabaiana, Kako partiu em disparada ao gol, quando, no afã de obstruir o atacante tricolor, um dos zagueiros do Sergipe, deliberadamente, atropelou seu adversário a dois passos da grande área. Falta clara que resultaria na expulsão do jogador vermelho. O sr. Eduardo Santana ignorou o lance e fez vistas grossas. Houve uma revolta total no estádio. Mas o pior ainda estaria para acontecer,;quatro minutos depois, o meia Fabiano do Itabaiana foi derrubado no círculo central, a dois metros do ângulo de visão do árbitro; a defensiva do Tricolor parou pedindo a falta; o árbitro mandou seguir o lance, o Sergipe aproveitou e, num cruzamento perfeito, o atacante Diego Neves fez o único gol do jogo e que sacramentou a vitória do "Vermelhinho". 
Daí pra frente, a gurizada do Itabaiana, atordoada com a postura decisiva da arbitragem, não conseguiu mais concatenar as jogadas e acabou assim: Itabaiana 0x1 Sergipe.


Opinião:

Lamentavelmente, fatos como os ocorridos ontem envolvendo a arbitragem continuam a assombrar jogadores, dirigentes e principalmente o torcedor do Itabaiana que, ao longo da sua história amarga derrotas construidas por erros grassos de arbitragem.
Não creio que o Sr. Eduardo Santana Nunes tenha saído da sua residência para trabalhar, com o propósito de favorecer equipe A ou B, todavia, coincidentemente, quero crer assim, o prejudicado mais uma vez foi o Itabaiana.

O que se espera da diretoria do Itabaiana é que demonstre a sua indiganação e aja com firmeza junto à comissão de arbitragem, para que fatos assim não voltem a acontecer, destruindo um planejamento e um trabalho de vários dias.

São episódios como estes que sempre nos remetem à quimera do pentacampeonato tricolor, onde o patrono José Queiroz da Costa fora obrigado a trazer pelos cinco anos consecutivos arbitragens de outros Estados para garantir resultados limpos e justos.


O técnico Vavilson dos Santos utilizou os seguintes atletas:

Rodrigues, Carlos Henrique, Alexandre, Dener e Wberlan (Emerson); Ruan, Ícaro, Zé Antonio e Fabiano; Aldir (Branco) e Kako (Henrique).


O Itabaiana volta a campo na próxima quarta-feira às 20h30 para enfrentar a Socorrense no estádio Wellington Elias, com o único pensamento de vencer e não deixar seus adversários se distanciarem na pontuação.

Outra coisa que nos envergonha muito é a postura subserviente de algumas pessoas da imprensa esportiva, que, não tem coragem de emitir uma opinião realista sobre a arbitragem, com receio de perder alguns mimos.


Acompanhe alguns momentos nos clicks de Eldon Santana:







Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.