quarta-feira, 15 de julho de 2015

Goleada adia o sonho do Bi.




O sub-19 do Itabaiana se despediu de forma vexatória da competição deste ano, ao ser goleado pelo Estanciano.


Irreconhecível! Foi assim que resumiu o supervisor Gilberto Nunes, ao ser questionado sobre a postura da equipe diante do Estanciano.

Desde o início do jogo, que o "canarinho do piautinga" deu mostras que seria um páreo muito difícil para o Tricolor da Serra.

Sem lembrar nem de longe a equipe que venceu com certa facilidade o Confiança na Arena Batistão e que, debaixo de uma tempestade arrancou na garra a vitória contra a Amadense, o Itabaiana foi todo tempo uma equipe apática, instável emocionalmente e desorganizada taticamente.
Conseguiu à duras penas segurar o empate na etapa primeira, entretanto, a obrigatoriedade de vencer o jogo, fez com que os meninos - a maioria ainda imatura - buscasse desordenadamente o ataque.


O Estanciano que precisava apenas de um empate, soube tirar proveito e foi, um a um, marcando seus gols, até a contagem final de cinco. Final: Estanciano 5x0.


Sem querer absolutamente justificar o fraco desempenho do Itabaiana, vale somar à inexperiência dos garotos, a falta de recursos financeiros para uma melhor preparação, a falta de interesse do torcedor e a ansiedade latente, gerada principalmente pelos seguidos adiamentos da data do jogo.

Não podemos ser injustos com essa geração. Eles chegaram até onde podiam.


Mais uma vez o Itabaiana fica pelo meio do caminho numa competição oficial. Todavia, não é hora de "caça às bruxas", mesmo porque o torcedor do Itabaiana tem feito muito pouco para ter o direito de cobrar resultados.

A hora é de serenidade e principalmente de humildade para avaliar, reconhecer onde houveram os erros e, retirar o que  ficou de positivo neste ano. 

O Itabaiana carece com urgência, de uma reforma administrativa e moral, pois, ao longo dos últimos anos, o temido Tremendão da Serra tem se transformado numa equipe frágil, sem representatividade na Federação, e que não assusta mais seus adversários.


O presidente Edivaldo Lima tem pago um preço muito elevado por ter delegado plenos poderes a terceiros, sem o devido acompanhamento.


O Itabaiana é hoje uma equipe sufocada por um infame círculo vicioso que, a cada ano que passa, o distancia mais e mais de uma equipe profissional.
Agora, quem terá a disposição de promover as radicais mudanças que a instituição Tricolor da Serra tanto aspira?
Quem terá a disposição de quebrar os elos desta corrente que aprisiona o Itabaiana a pactos de silêncio, pactos estes, nefastos, que só tem contribuido para um cataclismo sem precedentes.


Invoquemos a Phoenix. As vaidades e os interesses pessoais devem ser deixados de lado, em detrimento do ressurgimento das cinzas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.