quarta-feira, 22 de julho de 2020

Virada de mesa na Federação Sergipana de Futebol!

Hoje pela manhã, o presidente da Federação Sergipana de Futebol, o Exmo. Sr. Milton Dantas, usando das suas atribuições, convocou uma reunião extraordinária com as seis equipes da primeira divisão do futebol sergipano, mais as duas rebaixadas para a segundona do ano que vem.

Pois bem, o que foi tratado nessa reunião depõe contra tudo de mais ético e correto que possa haver. A reunião foi tão somente para consolidar a anulação do rebaixamento das equipes de Pedrinhas e Lagarto, equipes estas que disputaram a primeira fase do Sergipano e, de acordo com o regulamento, por terem obtido as duas piores campanhas, acabaram sendo rebaixadas para a segunda divisão do ano de 2021.

Inexplicavelmente, a FSF colocou o desejo de anular o descenso das equipes supra citadas, jogando o regulamento que ela mesmo confeccionou, na lata do lixo.

Não há motivo nenhum para tal benevolência, haja vista que, a competição transcorreu normalmente durante toda a fase classificatória, sendo a desculpa da pandemia da covid-19 um argumento frágil e descabido, já que a paralisação da competição se deu (16) dezesseis dias após o fim da primeira fase.

A Federação, habilmente, colocou na mesa para que os representantes das equipes votassem a favor ou contra a anulação do rebaixamento, entretanto, a "bomba" já estava armada para explodir.

A ordem de votação foi sagazmente conduzida de forma que, Pedrinhas e Lagarto - os dois grandes interessados - votassem primeiro, logicamente, abrindo uma frente de dois votos favoráveis a anulação. 

O único representante de equipe a questionar sobre a propositura da Federação Sergipana, foi o presidente interino do Itabaiana Wilson Mendonça. O dirigente tricolor observou que a anulação do rebaixamento era descabido e inoportuno, pois, a última rodada ocorrera em 01 de março, portanto, 18 dias antes da interrupção, não fazendo jus, o pleito da entidade.

As outras equipes não se manifestaram, até porque, os cinco primeiros votos, muito bem ordenados, foram favoráveis à Federação e, inteligentemente, as outras equipes não quiseram comprar um desgaste desnecessário, já que não haveria mais possibilidade de reverter o placar.

Nós que vivemos intensamente os idos de 70 e 80, pensávamos que não havia mais espaço para esses tipos de manobras; viradas de mesa, todavia, a célebre frase do poeta Agenor de Miranda Araújo Neto está mais em uso do quê possa supor nossa vã filosofia: vivemos "um baú de novidades".




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua opinião é livre.